General Motors afirma que venderá veículos autônomos para consumidores até ‘meados da década’

Vamos ser lendas

A General Motors vai vender veículos totalmente autônomos para pessoas comuns em meados da década, declarou a CEO da empresa, Mary Barra, durante seu discurso na Consumer Electronics Show 2022. Foi uma afirmação ousada que certamente causará ondas na indústria automobilística, especialmente porque continua a lidar com suas próprias expectativas exageradas sobre o futuro dos carros autônomos.

A Barra não ofereceu mais detalhes sobre o tipo de veículo que venderá, quais os mercados que terá como alvo, como tratará a responsabilidade em caso de acidente e, o mais importante, se os proprietários poderão dormir em seus veículos autônomos.

Até o momento, não há carros autônomos para venda aos consumidores como veículos de propriedade pessoal. Veículos autônomos, que são equipados com vários sensores e sistemas de computador de alta potência, são muito caros para desenvolver.

Até o momento, não há carros autônomos à venda aos consumidores como veículos de propriedade pessoal

A maioria das empresas de AV está optando por implantar seus veículos como parte de frotas de táxis autônomos como forma de custear os enormes custos de hardware e software associados à direção altamente automatizada. Outras empresas, como a Tesla, afirmam que seus veículos são “autônomos”, mas, na realidade, estão equipados apenas com sistemas avançados de assistência ao motorista Nível 2.

Muitos especialistas presumem que os veículos autônomos serão eventualmente vendidos aos consumidores, mas em uma data muito posterior, quando os custos de fabricação diminuíram e as margens são mais favoráveis ​​aos resultados financeiros da empresa.

Mas a GM afirma que essa data está chegando mais cedo do que o previsto. Barra disse que os clientes poderão adquirir seu próprio veículo autônomo “já em meados da década”, o que significa 2025, no mínimo. Mais importante, a GM está se dando um prazo, que pode ou não funcionar a seu favor.

No mês passado, Barra expulsou o CEO da Cruise, Dan Ammann, por causa de desentendimentos sobre os rumos da empresa

Anteriormente, Cruise, apoiado pela GM, perdeu o prazo de lançamento de um serviço robotaxi em grande escala em San Francisco até o final de 2019. A empresa disse que espera lançar o serviço em 2022.

No mês passado, Barra expulsou o CEO da Cruise, Dan Ammann, por causa de divergências sobre os rumos da empresa. De acordo com a Bloomberg, a Barra estava pressionando para usar a tecnologia de Cruise para impulsionar Cadillacs de luxo com direção autônoma que poderiam ser vendidos aos clientes. Ammann estaria aberto à ideia, mas queria priorizar o serviço de robotáxi de Cruise.

Ainda este ano, a GM está planejando iniciar a produção do Cruise Origin, um ônibus espacial autônomo projetado para esse fim, sem controles tradicionais como volante e pedais. A GM havia planejado anteriormente produzir uma versão de seu Chevy Bolt elétrico sem volantes e pedais, mas desde então colocou esse plano em espera enquanto prioriza o Origin.

Relacionado:

#tecnologia #tecnologia #tecnologia #transporte #Essa #gm-general-motors #carrosautônomos

John Doe

Curioso e apaixonado por tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.