Ohio processa o Facebook, diz que enganou o público sobre o efeito de seus produtos nas crianças

O processo foi movido em nome do Sistema de Aposentadoria de Funcionários Públicos de Ohio

Ohio está processando a controladora do Facebook, Meta, alegando que a plataforma de mídia social enganou o público sobre os efeitos de seus produtos nas crianças. A ação, movida em 12 de novembro em nome do Sistema de Aposentadoria de Funcionários Públicos de Ohio (OPERS), busca mais de US $ 100 bilhões em danos.

O processo alega que entre 29 de abril e 21 de outubro, o Facebook e altos executivos violaram a lei federal de valores mobiliários quando intencionalmente enganaram o público e enganaram os acionistas sobre como seus produtos podem afetar negativamente as crianças.

“O Facebook disse que estava cuidando de nossos filhos e eliminando os trolls online, mas na realidade estava criando miséria e divisão para o lucro”, disse o procurador-geral de Ohio, Dave Yost, em um comunicado na segunda-feira. Ele acrescentou que quando o Wall Street Journal começou a publicar uma série de artigos baseados em documentos internos da denunciante Frances Haugen, “a verdade começou a surgir”. De acordo com os documentos, a própria pesquisa interna do Facebook mostrou que sua plataforma de compartilhamento de fotos no Instagram pode ser prejudicial à saúde mental de adolescentes, especialmente meninas.

Depois que os relatórios foram publicados, as ações do Facebook caíram, fazendo com que o sistema de aposentadoria e outros investidores da empresa perdessem mais de US $ 100 bilhões, disse Yost.

De acordo com a ação judicial, a OPERS administra ativos no valor de aproximadamente US $ 125 bilhões em nome de 1,1 milhão de membros ativos, aposentados e beneficiários. O sistema “comprou ações ordinárias Classe A do Facebook a preços artificialmente inflacionados” em 2021 e “sofreu danos como resultado das alegadas violações das leis federais de valores mobiliários”.

O porta-voz da Meta, Joe Osborne, disse em um comunicado enviado por e-mail ao The que o processo “não tem mérito e vamos nos defender vigorosamente”.

Além de recuperar os US $ 100 bilhões perdidos, disse Yost, o processo “exige que o Facebook faça reformas significativas para garantir que não engane o público sobre suas práticas internas”.

#tecnologia #tecnologia #tecnologia #política #meta #mundo-nós #tecnologia #Facebook #notícia

John Doe

Curioso e apaixonado por tecnologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *